Brasileiros aderem ao mercado de produtos lácteos fortificados

O consumo de produtos fortificados com vitaminas e minerais caiu no gosto do consumidor. O Brasil, que já era um dos maiores consumidores de produtos saudáveis em todo o mundo, movimentou cerca de US$35 bilhões em 2020, segundo dados divulgados pela agência internacional de pesquisas de mercado Euromonitor International.

Em 2020, 4 das 10 primeiras posições do ranking 10 Macro Trends, da revista Forbes norte-americana, que reúne as principais tendências do ramo de alimentos e bebidas, eram ocupadas por alimentos que tinham na saudabilidade o seu principal argumento de vendas, mostrando que esta preocupação vem definindo novos hábitos de consumo ao redor mundo.

Para auxiliar a indústria a alcançar os mais diversos desafios no desenvolvimento de produtos inovadores, a Corbion, desenvolve mixes de vitaminas e minerais personalizados de acordo com as necessidades dos seus clientes, as indústrias de lácteos, que tem como objetivo oferecer aos consumidores produtos com valor agregado, fortificados, seguros e confiáveis.

Fortificação em alta

O relatório 2021 Latin America Trends da Corbion, também confirma esta tendência: analisando informações da ABIAD (Associação Brasileira da Indústria para fins especiais e congêneres), em sua pesquisa “Hábitos de Consumo de Suplementos Alimentares no Brasil”, conclui-se que 59% dos lares brasileiros possuem, no mínimo, uma pessoa consumindo suplementos alimentares.

Ainda segundo a ABIAD, entre os consumidores de suplementos, 48% garantem ter aumentado a compra destes produtos durante a pandemia. Entre os nutrientes mais procurados pelos entrevistados, vitaminas e minerais foram os mais citados. E, para confirmar que esta não é apenas uma onda passageira, 70% dos consumidores de suplementos afirmaram que vão manter este hábito alimentar mesmo após a pandemia.

Outra informação relevante, segundo a pesquisa Nutrition Insight, realizada em países como Estados Unidos, Brasil, Índia, Espanha e Alemanha pela Innova Market Insights, é que 36% dos consumidores afirmaram ter na mesa alimentos e bebidas que aumentam a imunidade corporal, independentemente da classe econômica.

Já a Mintel – Global Market Research & Market Insight, mostra através de sua pesquisa realizada recentemente, como o suporte à imunidade ganhou importância para os brasileiros no impacto da COVID-19. Os dados apontam que 32% dos brasileiros estão consumindo mais vitaminas e suplementos para melhorar seu sistema imunológico (ex: Vitamina C) e 34% dos brasileiros passaram a consumir mais alimentos e bebidas com ingredientes adicionados para melhorar seu sistema imunológico (ex: cúrcuma, vitaminas).

Produtos desenvolvidos especialmente para determinadas faixas etárias, por exemplo, podem conter nutrientes específicos que apelem aos anseios de nichos de mercado. Do iogurte com frutas fortificado com vitaminas que as mães oferecem aos seus filhos pequenos, a fim de garantir um crescimento saudável, até o leite enriquecido com minerais como o cálcio, com grande apelo para as faixas etárias mais avançadas da população.

O conhecimento adquirido e a tecnologia desenvolvida por meio de pesquisas em todo o mundo, além de um time comercial com grande conhecimento técnico e times de Aplicação e Pesquisa e Desenvolvimento entrosados e conectados globalmente, fazem da Corbion um parceiro forte e confiável para o desenvolvimento de mixes para produtos fortificados.

Muito além dos iogurtes

A presença de produtos lácteos fortificados nas gôndolas e geladeiras dos supermercados já não causa mais surpresa. Leite longa vida e iogurtes fortificados, por exemplo, já fazem parte da lista de compras de muitas famílias. Mas as possibilidades e oportunidades neste setor vão muito além destas já conhecidas. Queijos, requeijão, manteiga e até sorvete, por exemplo, também podem ter suas propriedades funcionais e nutricionais “turbinadas” para garantir mais opções ao consumidor atento às informações das tabelas nutricionais. Ao redor do mundo, já é possível encontrar produtos, lácteos e de outras categorias de produtos, que, através do processo de fortificação, oferecem ao consumidor benefícios como melhora do humor, melhor funcionamento do sistema digestivo e até mesmo uma pele mais bonita.

A fortificação de alimentos foi definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), desde a década de 1990, como uma das estratégias para a diminuição da desnutrição e de problemas referentes a carência de nutrientes das populações de todo o mundo.

E não é só em tendências para fortificação que a global empresa de ingredientes está atenta, acompanhando também o cliente omni channel, lançou neste semestre a plataforma: Fresh Dairy. 

Preservar o que importa é mais do que um propósito

Corbion empodera a preservação em todas as suas formas, e é guiado pelo propósito de “Preserve what matters / Preservar o que importa”. Líder mundial no mercado de ácido lático e seus derivados, usa sua experiência única em fermentação e outros processos para oferecer soluções sustentáveis para a preservação e produção de alimentos, da saúde e do planeta. Por mais de 100 anos, têm sido intransigentes no compromisso com a segurança, qualidade, inovação e desempenho. Com base em sua profunda aplicação e conhecimento do produto, trabalhamos lado a lado com os clientes para fazer com que as tecnologias de ponta sejam eficientes e que ajudem a diferenciar produtos em mercados como o de alimentos, cuidados domésticos e pessoais, nutrição, produtos farmacêuticos, dispositivos médicos e bioplásticos.

Vimos lá no MilkPoint