QUEIJO FRESCAL

Branquinho, macio e nutritivo.

No Brasil, existe uma infinidade de queijos, com diferentes cores, sabores, tamanhos e texturas, processados a partir de tecnologias que permitem a obtenção de exemplares únicos, admirados aqui e fora do país. No entanto, o queijo frescal se destaca entre eles e você saberá o porquê.

Natural de Minas Gerais, hoje ele é processado e consumido em todo o território nacional, é claro obedecendo as tecnologias que o tornam um frescal.

Conhecendo a origem do leite utilizado no processamento e as questões higiênico-sanitárias, ele pode ser fabricado de leite cru. Embora não sejam as condições que as indústrias o comercializam para garantir segurança alimentar ao consumidor, é exigido que pasteurize o leite que será utilizado na produção, assim como fazemos aqui no laticínio.

Vamos lá, então! Quando pasteurizam o leite, diferentemente dos outros tipos de queijo, pode ser adicionado o fermento mesofílico ou ácido lático, sendo que este último proporciona maior rendimento, produtividade e aumento da vida de prateleira, já que o produto final tem maior capacidade de manutenção das características de sabor e textura durante a estocagem.

Bom, e falando em rendimento, o Queijo Frescal é o que exige menor volume de leite para obtenção de 1 kg de queijo, ops, calma aí, cuidado, considerem que o rendimento excessivo está relacionado a diversos fatores e não adianta comercializarem com excesso de soro na massa que inundará a embalagem. Neste caso, é preciso seguir atentamente a tecnologia de fabricação, para que não cause uma má impressão a quem degusta.

De tecnologia simples, admite todos os tipos de salga para sua obtenção, no leite e no queijo, na massa e em salmoura, cada uma destas, é claro, tem uma característica particular para a obtenção e devem ser consideradas as condições e locais em que é fabricado.

As mais indicadas são a salga no queijo e salmoura, no entanto, para consumo imediato recomendamos que a salga seja feita principalmente na massa, pela menor quantidade de sal utilizado. Dessa forma, poderão consumi-lo logo que ficar pronto!

Geralmente, tem a vida curta de prateleira, uma semana no máximo, então, ao adquirirem, recomendamos o consumo imediato para manter a fama de gostoso.

Condimentos? Olha só, pensam que ele não pode receber especiarias, “uai”, é claro que pode! Porém, isso poderá reduzir a vida útil.

Além disso, ele é branquinho, macio, nutritivo e simplesmente delicioso!